Como o setor da panificação poderá aproveitar as oportunidades que advém da tendência da saúde intestinal

12 jul 2021

Muito antes de alguém falar de COVID-19, a tendência de procura por alimentos saudáveis ​​e lemas como o "somos o que comemos" e "comida é como um remédio" já haviam sido estabelecidas. No entanto, a pandemia transformou-se num acelerador de tendências, trazendo uma consciência mais ampla da ligação entre alimentação, saúde intestinal e a nossa saúde física e mental em geral. Federica Galli e Vimac Nolla Ardèvol, R&D Manager Health & Well-Being e Research Manager Metabolomics na Puratos respetivamente, partilham os seus conhecimentos sobre saúde intestinal e explicam como o setor da panificação pode aproveitar as oportunidades que esta nova tendência de saúde traz.

O que nos pode contar sobre a tendência de saúde intestinal e todo o seu mercado?

“A saúde tem sido uma tendência global importante há muitos anos. Isto foi revelado claramente por várias edições do Taste Tomorrow, que são realizadas com frequência entre 17.000 consumidores em 40 países. Para entender o impacto da pandemia no comportamento do consumidor e descobrir as principais tendências que moldam o mundo pós-COVID da padaria, pastelaria e chocolate, a Puratos entrevistou 7.500 consumidores em 15 países entre maio de 2020 e janeiro de 2021.

Este estudo mostrou que a pandemia acrescentou novas dimensões às expectativas dos consumidores em relação à saúde e alimentação. 60% dos consumidores agora recorrem aos alimentos para manter e reforçarem a sua saúde e para os ajudar a responder a necessidades específicas, como reforçar o sistema imunológico e uma boa saúde mental. Há uma consciência crescente sobre a importância da saúde intestinal e de um microbioma intestinal bem equilibrado para proporcionar saúde física e bem-estar mental.”

Qual o entendimento dos consumidores em relação à saúde intestinal?

“Na última década, os consumidores têm se voltado cada vez mais para alimentos e bebidas funcionais com alegações de saúde intestinal e ingredientes de alimentos integrais como uma respondendo desta forma às suas necessidades. De acordo com um estudo da Mintel em 2020, 30% dos consumidores experimentaram alimentos e bebidas com benefícios probióticos e 40% estão dispostos a experimentar alimentos e bebidas que irão melhorar a sua saúde digestiva, pois concordam que isso é fundamental para o seu bem-estar geral estando estes consumidores cientes dos sintomas causados ​​por problemas de saúde intestinal.

No entanto, embora os sintomas relacionados com falta de saúde intestinal sejam bem conhecidos, os consumidores geralmente têm conhecimento limitado dos alimentos ou compostos que podem ajudá-los a restaurar ou manter um microbioma intestinal bem equilibrado. Embora a indústria de laticínios tenha investido muito para aumentar a consciência dos consumidores sobre os probióticos e o papel que eles desempenham no intestino e na saúde geral na última década, a maioria dos consumidores não está muito familiarizada com conceitos como prebióticos e, em particular, pós-bióticos.”

Qual o conhecimento por parte dos consumidores sobre o impacto dos produtos de panificação na saúde intestinal?

“Os consumidores sabem como alimentos que contêm fibras, como frutas, vegetais e grãos integrais, beneficiam a sua saúde e podem reduzir potencialmente o risco de desenvolver doenças, incluindo diabetes e doenças cardiovasculares. Esses benefícios são reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Além disso, a maioria dos consumidores sabe que pães feitos com farinhas integrais e que contenham grãos inteiros e sementes fornecem quantidades significativas de fibras dietéticas benéficas para a dieta.

Infelizmente, poucas pessoas percebem que diferentes tipos de fibras desempenham papéis diferentes. Por exemplo, nem todas as fibras podem ser consideradas prebióticos, o que significa que nem todas as fibras promovem seletivamente o crescimento e a atividade de bactérias benéficas no intestino.

E embora muitos estudos mostrem que o pão com massa mãe é mais fácil de digerir, a maioria dos consumidores não sabe que um número crescente de estudos científicos relaciona o pão tradicionalmente feito (pão com longa fermentação) à digestibilidade melhorada e a uma composição do microbioma intestinal mais equilibrada.”

Explique-nos quais são os ingredientes no pão considerados “amigos” do nosso intestino?

“A composição do microbioma intestinal individual depende de fatores pessoais e ambientais. As experiências da infância, como o tipo de parto e a amamentação, desempenham um papel, mas também as atividades físicas e a alimentação. Na dieta, as pessoas podem introduzir compostos "amigos do intestino", como por exemplo: fibra alimentar e compostos prebióticos, probióticos e pós-bióticos.

Ao longo de várias décadas, os cientistas mostraram que todos os tipos de fibra são importantes para uma boa saúde. O cumprimento das necessidades dietéticas diárias prescritas (25g a 38g de fibra por dia de acordo com a OMS, uma meta que a maioria das pessoas luta para alcançar) tem um efeito significativo na normalização da evacuação, controlo do peso corporal e na redução do risco de várias doenças não transmissíveis como certos tipos de cancro, diabetes e doenças cardiovasculares * 1.

Como costuma acontecer na vida, quantidade e qualidade andam de mãos dadas, então uma dieta amiga do intestino não é apenas rica em fibra alimentar total, mas também inclui diferentes tipos de fibra alimentar que estimulam a diversidade do microbioma intestinal. Porque nem todas as fibras exercem os seus efeitos benéficos da mesma maneira, e há uma diferença entre como os diferentes compostos (prebióticos, pós-bióticos e probióticos) agem.

As fibras prebióticas podem interagir direta e positivamente com nosso microbioma intestinal. São utilizados seletivamente (geralmente fermentados) por bactérias intestinais "boas", que os ajudam a prosperar e a manterem a comunidade de microrganismos intestinais em equilíbrio, contribuindo para uma boa saúde. Os benefícios dos prebióticos para a saúde estão bem documentados. As fibras prebióticas mais conhecidas e estudadas são a inulina, frutooligossacarídeos (FOS) e galactooligossacarídeos (GOS). Os seus benefícios para a saúde vão desde uma melhor absorção de minerais e ajuda na modulação do sistema imunológico até o alívio dos sintomas da síndrome do intestino irritável (IBB). Os oligossacarídeos de arabinoxilano (AXOS) também têm efeitos prebióticos potenciais, conforme demonstrado por vários estudos (Nutr J. 2012; 11: 36.)

Além das fibras prebióticas, o pão também pode conter pós-bióticos. Os cientistas descrevem os pós-bióticos como uma mistura de microrganismos inativos e não viáveis ​​e / ou os seus componentes (como ácidos graxos de cadeia curta ou compostos da parede celular) que são benéficos. Na verdade, os pós-bióticos estão associados ao potencial de controlar o desconforto digestivo e ajudar o sistema imunológico a funcionar adequadamente, e têm efeitos anti-inflamatórios e anti-hipertensivos.

O terceiro tipo de ‘bióticos’ são os probióticos. São microrganismos vivos que, quando consumidos em quantidades adequadas, trazem benefícios à saúde. No entanto, os probióticos não podem ser encontrados em produtos de panificação. O tratamento térmico, no fabrico, mata-os.”

Como podemos promover produtos como sendo 'bons para a digestão'? Que afirmações poderão ser feitas?

“A legislação sobre alegações de alimentos não está harmonizada, seja globalmente ou em diferentes países da mesma região. Como tal, é difícil fornecer diretrizes gerais sobre o que se poderá reivindicar, pois deverão sempre ser levadas em consideração as legislações locais. A situação é muito diversificada e uma abordagem caso a caso é sempre necessária.

Para responder ao cenário regulatório diversificado e para garantir que respondemos aos mais altos padrões, a linha de produtos Happy Gut recém-criada pela Puratos conterá apenas compostos legalmente autorizados para serem associados à saúde intestinal. Consequentemente, a composição do nosso portfólio Happy Gut pode variar entre os países.

Como os consumidores querem cuidar de si todos os dias e esperam uma comunicação clara e honesta dos participantes da indústria, acreditamos que o destaque do nosso portfólio Happy Gut deve ser tomado por produtos de panificação magros (pães crocantes, pães, baguetes, pãezinhos, entre outros). Além disso, promoveremos apenas soluções que permitam às padarias preparar produtos acabados que vão de encontro aos requisitos para fazer uma alegação de saúde intestinal, conforme determinado na região / país em que o produto acabado é vendido. Também temos feito muita comunicação sobre esta temática, sensibilizando para os desenvolvimentos científicos nesta área.”

Quer saber mais?

Para descobrir as últimas tendências do consumidor, marque na sua agenda o próximo Global Taste Tomorrow Event, um evento totalmente digital que acontecerá nos dias 28 e 29 de setembro de 2021.

Conversas aprofundadas sobre as últimas tendências do consumidor de #panificação, #pastelaria e #chocolate, oradores de todo o mundo, uma plataforma para partilhar tendências alimentares, tecnologias mais recentes e receitas inspiradoras.

 

*1) https://www.nutrition.org.uk/healthyliving/basics/fibre.html

Tenha um Intestino Feliz com a Puratos
Pães que alimentam o seu sorriso interior!